blogs

O que é Big Data e para que serve?

26 de novembro de 2019 por Jorge Ignacio Gómez banner

No mundo digital, os dados são multiplicados com um único clique. Quando você escreve uma palavra em uma ferramenta de busca, publica nas redes sociais ou simplesmente carrega o celular no bolso, deixa rastros sobre quem você é, o que gosta e o que faz.

Dessa forma, 2,5 quintilhões de bytes são criados todos os dias com informações. Esses números nunca tiveram precedentes na história. De fato, segundo a IBM, 90% dos dados existentes no mundo foram gerados nos últimos cinco anos.

Essa quantidade de informações permitiu aprimorar processos de negócios, gerenciar riscos, antecipar o comportamento do usuário e também otimizar campanhas publicitárias com decisões mais eficazes.

E tudo isso foi possível graças ao grande volume de dados.

 

Mas o que é big data?

De acordo com a definição do Gartner, big data são ativos de informações variados, de alto volume e alta velocidade. Devido à complexidade desses dados, seu processamento requer o uso de tecnologias mais sofisticadas e inovadoras para capturar, armazenar e facilitar a tomada de decisões.

Assim, no mundo da ciência de dados, os três tempos (volume, velocidade e variedade) são uma condição para que certas informações sejam processadas usando ferramentas e técnicas de big data.

No entanto, o simples volume de informações é insuficiente por si só. É ainda mais importante saber o que fazer com os dados que sua empresa coleta.

Portanto, o big data é maior que o tamanho da informação. É a oportunidade de responder a perguntas sobre o seu negócio a partir da análise de dados.

Assim, o big data se tornou a matéria-prima de qualquer setor para agir. Portanto, as empresas que sabem o que é big data e para que servem têm uma vantagem significativa sobre a concorrência.

No entanto, apesar dessa crescente importância dos dados, em nosso Relatório sobre a adoção da transformação digital, descobrimos que na América Latina 42% das empresas não iniciaram ou estão em um estágio muito incipiente de gerenciamento de informações.

 

Para que serve o big data?

O big data ajudará você a tomar decisões sobre as necessidades do seu cliente, a organização do seu inventário ou o lançamento de novos produtos ou serviços. Com o big data, você pode analisar diferentes conjuntos de dados e encontrar informações relevantes para o seu negócio:

– identificação antecipada de problemas ou falhas em tempo real;

– desenvolvimento de produtos de acordo com as necessidades do seu público;

– gerenciamento de riscos e detecção de fraudes;

– previsão de movimentos do mercado.

– consolidação do relacionamento com o usuário.

Esta é uma lista pequena, mas existem muitos outros exemplos na prática que nos ensinam o que é o big data e o enorme potencial que ele oferece a empresas de diferentes setores.

No setor de petróleo e gás, por exemplo, diferentes tecnologias de coleta de dados foram desenvolvidas e requerem processamento e análise.

Com as ferramentas para aquisição de medições durante a perfuração (MWD) ou aquisição de registros durante a perfuração (LWD), grandes quantidades de dados são transmitidas para a superfície em tempo real. Nesse processo, tudo é medido: pressão do fluido, temperatura, espaço de formação, extensão, entre outros parâmetros. Mesmo durante a exploração de petróleo, os mecanismos são usados ​​para capturar imagens em 3D das camadas subterrâneas ou da geologia subjacente.

Para um humano, analisar essas informações em detalhes se tornaria uma dor de cabeça, pois levaria muito tempo e geraria um alto grau de incerteza.

Com o big data, pelo contrário, o processamento de dados é realizado em tempo real, de forma rápida e verdadeira, o que ajuda a evitar possíveis danos ou explosões na infraestrutura.

Mas mesmo a análise de big data pode ser incorporada ao dia a dia das pessoas.

Através da Internet das coisas, conectando um dispositivo à Internet, poderíamos coletar dados para identificar hábitos de consumo, localização do dispositivo, manutenção preventiva ou possíveis avarias.

Que tipo de dados o big data processa?

Agora que você sabe o que é big data e para que serve, certamente deseja saber que tipo de dados pode processar.

(Alerta de spoiler: todo mundo que você pode imaginar).

O Google, por meio de algoritmos de big data, processa por dia mais de três bilhões de pesquisas em todo o mundo. Ao mesmo tempo, segue a trilha de bilhões de sites diferentes e armazena centenas de peta bytes de informações.

Se o Google o fizer, imagine o que uma empresa de pequeno ou médio porte pode fazer, especialmente se considerarmos que essa é a dimensão da transformação digital com menos desenvolvimento nesse tipo de empresa.

De acordo com a Universidade de Standford, o desenvolvimento de big data na nuvem permite que pequenas e médias empresas (PMEs) acessem essas tecnologias a um custo menor, uma vez que a computação em nuvem implica uma menor complexidade de desenvolvimento e escalabilidade.

Além disso, as PMEs também podem usar big data para consultar simultaneamente informações de diferentes fontes, como CRM, análise de mercado, sistemas ERP, entre outras, que geralmente possuem estruturas de dados complexas em diferentes formatos e fluxos.

No entanto, além dos dados coletados sobre seus clientes, setor ou organização interna, existem inúmeras informações que fornecem conhecimento abrangente sobre o cliente e que as empresas geralmente deixam de fora da análise.

Portanto, as fontes de dados em um processamento de big data podem e devem variar para tirar conclusões relevantes: CRM, ERP, ferramentas de análise da web, monitoramento de redes sociais, sistemas de monitoramento e aquisição de dados (SCADA), entre muitos outros.

Quando falamos de variados, queremos dizer não apenas os dados que você armazena no banco de dados da sua empresa, mas todo o resto.

O big data tem a capacidade de capturar e analisar dados estruturados e não estruturados, como textos, navegação, vídeos, arquivos de log etc. Você pode até processar os dados gerados por uma máquina.

Você não sabe o que é dado estruturado e não estruturado? Aqui está uma explicação expressa:

 

Dados estruturados:

São aqueles armazenados de maneira organizada e definida, seguindo um determinado formato. Eles são classificados regularmente em tabelas e armazenados em bancos de dados relacionais.

Dados não estruturados:

Conjunto de dados maciço e desorganizado, sem um valor ou estrutura interna identificável. Por exemplo, e-mails, arquivos de texto, comentários em redes sociais, vídeos, imagens etc.

Por onde começar com big data?

Você já sabe o que é big data e para que serve, mas não sabe por onde começar a implementá-lo em seus negócios? Não se preocupe. Clique no link abaixo, faça o download do nosso e-book gratuito e descubra o que você precisa para começar no mundo do big data.

 

Inscreva-se no nosso blog

Descubra as melhores ideias para a transformação digital do seu negócio.